quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

Aspecto parcial da Rua Manuel Febrero  em Mutela, Cova da Piedade, há 40 anos. Uma zona de Almada que se apresenta ainda degradada por não ter sido intervencionada em tempo oportuno.
À esquerda vemos o portão, com cor vermelha, de entrada para a Mecânica Piedense, Limitada que tinha o nº 120 da rua, no Largo de Mutela.
A Mecânica Piedense , Fábrica de Serração e Carpintaria - madeiras nacionais e estrangeiras em tosco e aparelhado, materiais de construção - drogas e ferragens, tinha o telefone Almada - 070182.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada



"Casa Faísca" uma pequena loja que foi referência em Almada nos anos 56 e 60 para quem tinha um receptor de rádio a necessitar de conserto. Ficava nas escadinhas entre a Rua Capitão Leitão  e a Escola Conde de Ferreira. O Café Atlético mencionado no anúncio, tem agora o nome "Barca D´Alva.
Quem se lembra?

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada

Cacilhas, no local do Largo Costa Pinto, em finais do século XIX com o Farol à direita.
O edifício do Café Progresso, na imagem ao centro-direita, deu lugar no séc. XX a outra construção de r/c e primeiro andar e ao Café Continental.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Gente de Almada, Gente Que Viveu Almada

O Dr. José Maria Roque Lino foi um dos fundadores do Partido Socialista. Faleceu no dia 16 de Novembro de 2017 com 79 anos.
Roque Lino, não era natural de Almada mas residiu e viveu em Almada, ele e família. Foi no Café Central de Almada durante a segunda metade da década de 60 que ele estudou e se preparou para os exames e tirar o curso de Direito, licenciando-se em 1970. À mesa do café e de estudo tinha geralmente por companhia o cunhado Celestino Cabanas Bento, que estudava igualmente Direito e se licenciou seguindo este a carreira de juíz, reformando-se como Juíz Desembargador no Tribunal da Relação de Lisboa.
Nesses anos 60 conversámos muito à mesa do Central com ele, o seu irmão António, mais novo e o cunhado. Muitas das conversas eram de abordagem política e social.
O Dr. Roque Lino, está sinalizado na fotografia supra dos fundadores do Partido Socialista em 19 de Abril de 1973 na cidade alemã  de Bad Münstereifel, fundado a partir da Acção Socialista Portuguesa a que aderira em 1971.
Começou a escrever no jornal República em 1971, segundo nos disse a convite de Urbano Tavares Rodrigues. Escreveu depois em outros jornais: A Luta, Portugal Hoje, A Capital e Diário de Notícias.
Em 1973 foi Delegado ao 3º Congresso da Oposição Democrática realizado em Aveiro
Foi membro da Comissão Nacional de Eleições em 1976 e em 1977 foi Secretário de Estado da Comunicação Social do II Governo Constitucional.
Após o 25 de Abril de 1974 perguntámos a um militante do Partido Socialista em Almada pelos Drs Roque Lino e Alexandre Pires e como ia então o PS em Almada face ao período conturbado do PREC. Respondeu dizendo: "Já corremos com os Drs"!. Resta acrescentar que esse militante trepou política e socialmente e os Drs de facto haviam-se eclipsado das lides políticas neste concelho.
O Dr José Maria Roque Lino era natural da freguesia de S. Vicente da Beira, concelho e distrito de Castelo Branco.
 
Uma coincidência de dia e mês: O Dr. Roque Lino, enquanto Secretário de Estado da Comunicação Social foi exonerado, a seu pedido, devido a uma situação criada por um funcionário da SECS. A exoneração teve efeitos a partir da data da publicação do  Decreto em Diário da República 16-11-1977. Morreu 40 anos depois a 16-11-2017 na sua residência em Loures.
Só hoje tivemos conhecimento do seu falecimento.
 
A fotografia foi retirada da internet

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada

Programa (desdobrável) das Festas do Carnaval de 1959 da Academia de Instrução e Recreio Familiar Almadense.
Estes programas de festas carnavalescas nas colectividades do concelho eram sempre muito esperados e concorridos não só pelos associados e familiares mas também por outros almadenses. Os salões das colectividades enchiam-se, principalmente nas "matinées" de Domingo e Terça-feira, bem como nas "soirées" de Sábado, Domingo, Segunda-feira e Terça-feira.
O Salão Pauilona era o espaço da então esplanada/rink da Academia que recebia uma cobertura de lona. Este espaço correspondia parcialmente  ao actual cinema, uma vez que a construção deste se expandiu para área ocupada por moradias viradas para a Rua Capitão Leitão.
De salientar que destes festejos, o das crianças mascaradas,  era  feita uma reportagem fotográfica por fotógrafo almadense. Neste caso a reportagem foi realizada pela Fotal e as fotografias seriam depois expostas nas vitrines da casa fotográfica. Muitos almadenses passavam então pela loja para ver as fotografias em exposição.
A Fotal era do Faustino, um galego que se radicou em Almada e se dedicou à fotografia.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada



Fotografia das instalações dos CTT de Almada, inauguradas em Abril de 1956, na Praça da Renovação, actualmente designada por praça do MFA. Ainda funcionam no mesmo local e já foram várias vezes remodeladas.
À esquerda na fotografia vê-se a  antiga entrada do prédio e à direita o antigo café e snack-bar Arcada. A construção do prédio com a Estação dos CTT foi feita  por Álvaro Pereira que teve escritório no prédio à direita na foto ( o do café Arcada), no 1º andar. A seguir vê-se a entrada deste prédio e depois tínhamos a Radiolar - loja de Electrodomésticos.
Os primeiros serviços dos CTT em Almada foram instalados em 6 de Janeiro de 1879, segundo informação  na Rua Capitão Leitão, num edifício frente às actuais instalações da Incrível Almadense, mudando-se posteriormente para a Praça do Comércio em 1937, onde está a Fotalmada.