segunda-feira, 1 de maio de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada


Embalagem do pacote de açúcar para adoçar a bica usado nos anos 60, no antigo Café Central de Almada.

sábado, 8 de abril de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada


Imagem da praia da Costa de Caparica, de finais dos anos 70 princípio anos 80, no trecho entre os banheiros Tarquínio e Paraíso, vendo-se este estabelecimento de banhos  à esquerda na base das Torres Europa e a bola Nívea ao centro direita. Atrás desta ainda se descortina o edifício do "Cuíca".
Como muitos sobreviventes ainda se recordam, (aqueles que viveram e usufruíram as praias da Costa de Caparica, sendo ou não do concelho de Almada) a "bola Nívea" era à época, o "Ponto de Encontro"... bons e maravilhosos tempos para recordar!

sexta-feira, 31 de março de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu Almada

Sucinta apreciação e opinião sobre a obra de Romeu Correia  "O Vagabundo das Mãos de Ouro", escrita por alguém que não era natural de Almada - o dramaturgo Bernardo Santareno, pseudónimo de António Martinho do Rosário.

domingo, 26 de março de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu Almada

Imagens do bilhete postal que Romeu Correia enviou em 1 de Agosto de 1962 ao seu amigo de Cacilhas e Almada, Jaime Feio, transmitindo-lhe a alegria e regozijo sentidos pela apresentação em estreia, na véspera, no Teatro Experimental do Porto pela companhia profissional do Circulo de Cultura Teatral, da sua farsa "O Vagabundo das Mãos de Ouro".
 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada


Início do Ginjal a partir de Cacilhas, vendo-se a antiga estação fluvial e o cais de atracação dos cacilheiros.
O cacilheiro atracado parece ser o "Vouga" ou o "Mouraria".
A fotografia é de Setembro 1979.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada

A antiga Avenida Bento Gonçalves, que ligava o Centro Sul a Almada, num cinzento dia de Dezembro de 1994 quando ainda tinha três faixas de rodagem em cada sentido e era avenida. Presentemente, a residual via do Centro Sul a Almada, tem a meio um inútil canal ferroviário, com as faixas de rodagem reduzidas a duas em cada sentido no correspondente à fotografia. Para norte só existe uma faixa de rodagem em cada sentido.
A fotografia, que mostra um trecho no sentido norte-sul, foi captada do passeio esquerdo junto à Travessa da Ramalhinha.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Gente de Almada, Gente Que Viveu Almada

Arménio Reis, almadense nascido em Cacilhas a 13 de Julho de 1934, faleceu a 5 de Fevereiro de 1997 no Hospital Garcia de Orta.
A SCALA, de que era sócio fundador, homenageou-o um ano depois dedicando-lhe um Número Especial do seu boletim e realizou uma exposição com algumas de suas obras no Forum Romeu Correia de 14 a 21 de Fevereiro de 1998 - " A semana de Arménio Reis".
Passaram 20 anos sobre o falecimento deste amigo.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Coisas de Gente Que Viveu e Vive Almada


Folha usada pelos alunos do Externato Frei Luís de Sousa, nos anos 50-60, para responder às questões colocados pelos professores nas provas  ou pontos escritos, ao longo do ano lectivo.
Para as provas de matemática o papel era quadriculado.
Compravam-se estas folhas com 4 páginas - a face e mais três - por três tostões (trinta centavos do escudo) na cantina/vestiário, onde trabalhava o Sr. Mário Filipe, 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

 
Montagem com os recortes da notícia publicada no Jornal de Almada de 31 de Julho de 1955, sobre a inauguração da nova garagem-sede da Empresa de Transportes  Beira-Rio Lda, na Cova da Piedade.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada

O antigo complexo de restauração "Barbas" na Costa da Caparica, com o restaurante "Bento" à esquerda na fotografia, em Março de 2007 quando o Polis já avançava pela orla.

domingo, 22 de janeiro de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada


Esta foto, que circula por aí como "ed. desc." ou "autor desc." foi retirada do  "post" de 23 Setembro de 2009 deste blog, antes de a mesma ter o endereço do blog sobreposto, da qual possuo o slide original de onde a retirei por digitalização.
Ano 1978.

sábado, 21 de janeiro de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Vive Almada

Mudar, mudou, mas para pior. Foi exactamente o que se viu e vê, infelizmente, sem que os responsáveis por isso assumam responsabilidades ou sejam responsabilizados.
Felizmente a Costa da Caparica ainda tem o Sol. Como este paira acima dos homens, os "arquitetos" (da mudança) sem o "c",  não conseguiram mexer-lhe.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

Era uma muito conhecida e conceituada casa comercial na Av. António José Gomes, Cova da Piedade, na segunda metade do séc XX.
Ficava  no lado oposto à Escola António José Gomes e um pouco à frente, portanto, à esquerda de quem se dirigia da Cova da Piedade para Cacilhas e imediatamente a seguir ao então existente posto de abastecimento de combustíveis da Sonap, depois Galp.
Ao lado desta casa e propriedade do mesmo, ficava a Ourivesaria e Relojoaria Maia, representante na Cova da Piedade do "afamado relógio" ROAMER.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Gente de Almada, Gente Que Viveu e Vive Almada

Nesta imagem captada em contra luz à entrada do antigo Café Central de Almada pela porta da ex-Av. de D. Afonso Henriques, vemos dois conhecidos jovens que frequentavam o café naqueles idos anos da década de 70. Um deles, o que está de costas, é o Estrela.
O Central tinha muitos clientes e frequentadores. Alguns, de uns e outros, sobressaíam ou tornavam-se mais notados por uma ou outra característica, comportamento, atitudes ou vivências. O Estrela foi um dos frequentadores que muitos dos clientes, principalmente a juventude que por lá estudava ainda se recorda bem.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

Uma imagem da praia da Costa da Caparica possivelmente da segunda metade da década de 60, uma vez que já estão construídos os primeiros esporões para a zona norte. Na imagem vê-se o que foi construído frente ao local onde existiu o restaurante "Bento", ainda de pequenas dimensões.
À direita temos na imagem o estabelecimento de banhos Paraíso. Nesta zona da praia ainda não tinha sido construído o paredão.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

Electro-Globo, Lda foi um estabelecimento de electrodomésticos  muito conhecido que existiu em Almada nos anos 50 e 60 do século passado.
Os almadenses mais velhos certamente recordam-se desta casa que ficava logo à esquerda de quem se dirigia da Praça da Renovação para o mercado de Almada, pela Rua de Olivença.
Este cartão anúncio é de 1962.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Gente de Almada, Gente Que Viveu Almada

Durante a missa celebrada na garagem da Beira-Rio, na Cova da  Piedade, pelo Arcebispo de Mitilene, por ocasião da vinda da imagem de Nossa Senhora de Fátima a Almada nos primeiros anos de segunda metade do séc. XX, vêem-se na fotografia o Padre Louro (Manuel Alves Louro) falando aos fiéis presentes e, junto à coluna à direita, sentado, o Cónego Gonçalves Pedro que foi reitor do Seminário de Almada e Director do Externato Frei Luís de Sousa. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

"Calhandra", cervejaria, café e snack-bar que existiu nos anos 60 na Praça da Renovação, tinha também uma grande esplanada, muito frequentada por clientes/tertúlias almadenses com interesses sócio-comunitários comuns, principalmente durante as tardes e noites quentes de Verão.
No local, actualmente existe uma ourivesaria. Quando encerrou deu lugar ao snack-bar "Xiró".
É um anúncio de 1968.

sábado, 12 de novembro de 2016

Gente de Almada, Gente Que Viveu Almada


Salvador Félix Martins nasceu na Costa da Caparica a 1 de Agosto de 1932 onde viveu. Foi jogador do Sport Lisboa e Benfica ao lado de  Costa Pereira, Palmeiro, Coluna, José Águas e Jacinto, com Otto Glória como treinador.Pelo  Sport Lisboa e Benfica foi campeão Nacional nas épocas de 1954-55 e 1956-57. Ficou conhecido pelo seu potente remate com o pé esquerdo.
Ainda representou as equipas da Cuf , do Belenenses e do Atlético. Após deixar os campos como jogador, foi treinador do Grupo Desportivo dos Pescadores da Costa de Caparica, do Almada, do Cova da Piedade, do Monte de Caparica, do Sesimbra, do Marinhense e do Sintrense.
Salvador não se dedicou só ao futebol. Também teve tempo  para escrever dois livros dedicados à sua Costa de Caparica: “Lanços do Mar Que Arde, da Costa de Caparica à Fonte da Telha", em 2001 e "Caparica Doutros Tempos", em 2004.
Faleceu no dia 23 de Abril de 2013 com 80 anos.
O actual Presidente da Junta de Freguesia da Costa de Caparica, José Ricardo Martins, é seu filho.

domingo, 30 de outubro de 2016

Gente de Almada, Gente Que Viveu e Vive Almada

Finalistas do Externato Frei Luís de Sousa  de 1964-1965 em Coimbra, no Penedo da Saudade, no dia 9 de Maio de 1965.
À esquerda estão os professores  de Filosofia, Dr. João Afonso Viana da Costa "o Ginjas" e  de Matemática, Drª Maria da Graça.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada

Lisboa, o Tejo e telhados do Ginjal, tudo visto do miradouro Luís de Queiroz (miradouro da Boca do Vento) em 1978.
Hoje, 38 anos depois, do mesmo local continuamos a observar Lisboa e o Tejo. Telhados do Ginjal já não observamos. Vemos sim, só ruínas, incúria, lixo e degradação no Ginjal.
Foi o resultado de um poder local autointitulado democrático de esquerda, arrogante e autoritário, mais interessado em manter-se no poder do que no desenvolvimento económico e turístico de Almada e do concelho.

domingo, 23 de outubro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada


Átrio da entrada principal do Seminário de Almada  num postal dos anos 40. O portão que dá entrada a este átrio é o da Rua D. Álvaro Abranches da Câmara. Este grande arco que se vê na imagem fica à esquerda de quem entra pelo citado portão. Através deste arco que dá acesso à quinta, entrava-se num comprido e largo corredor, sempre ladeado com canteiros de flores, acompanhando o muro do Seminário ao longo das Ruas Francisco Foreiro e Fernão Lourenço.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada

"Leão das Chaves", uma casa comercial de Almada que resistiu ao efeito triturador dos anos, do falso progresso, desenvolvimento económico e má gestão da cidade de Almada pela autarquia, continuando apesar de tudo, aberta no mesmo local, a servir a população almadense.
É um anúncio de 1968.

domingo, 16 de outubro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada


Cartão de associado do Club Columbófilo "Os Águias" de Almada, cuja sede ficava por cima da Farmácia Magalhães e ao lado da sede do Clube de Campismo do Concelho de Almada, na Rua Capitão Leitão nº14, frente à sede da Incrível Almadense. A entrada para estes dois clubes era feita pela mesma porta de rua. À data, a numeração dos prédios foi diferente da actual. Hoje aquela entrada tem o nº 8.
Por cá a columbofilia teve muitos adeptos nos anos em que em Almada predominavam as quintas e os cidadãos residentes tinham quintais junto a suas habitações.
Realizavam-se anualmente campeonatos dos columbófilos com largadas semanais de pombos correios dos associados, geralmente aos domingos, em várias cidades do país e em Espanha - Vitória, Burgos, Saragoça, Sória, Lérida.
Na Cova da Piedade também existia um clube congénere.
O cartão é de Março 1958.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu Almada

A equipa de futebol do antigo Clube José Avelino (Cacilhas) no antigo campo de futebol (Parque Silva Nunes) do Clube Desportivo da Cova da Piedade.
Por trás da equipa. vê-se parcialmente a bancada do campo, à esquerda e à direita temos antigas edificações pertencentes à quinta então existente. Estas foram posteriormente demolidas em parte na sequência da construção do acesso ao Centro Sul e IC20 e o que restou, depois.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

Almada, local onde foi construído o designado Teatro Azul, na segunda metade dos anos 70. Esta imagem foi captada anteriormente a outra aqui divulgada em 23 de Maio de 2012. Para além de diferenças nas construções em fundo, nesta vê-se o pórtico da Lisnave à direita.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

Trafaria em postal da década de 50 junto ao cais fluvial de embarque/desembarque de passageiros e de onde partiam as camionetas da Piedense que faziam a carreira Trafaria-Costa da Caparica-Trafaria.
Actualmente esta área já não dispõe dos estabelecimentos que se vêem à direita, nem tem este aspecto.

domingo, 18 de setembro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu Almada

A fábrica de moagem Gomes no Caramujo, Cova da Piedade, num postal de princípios do Séc XX.

sábado, 17 de setembro de 2016

Coisas de Almada e da Gente Que Viveu e Vive Almada


Muros limpos na Rua Cidade de Ostrava - Almada em Fevereiro de 1994. Um contraste com o que vemos agora no local e por todo o concelho de Almada onde não há parede, muro ou fachada de prédio que não esteja vandalizado por gente que manifesta uma  necessidade de auto-afirmação social e um certo narcisismo, poluindo e conspurcando a paisagem.

sábado, 3 de setembro de 2016

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada



Bar Ondeando e respectiva esplanada, ficavam junto ao restaurante Barbas, na orla da praia da Costa de Caparica. Embora não dispondo das melhores condições de acordo com padrões exigíveis para o caso, constituíam um lugar simpático e agradável espaço para desfrutar, em fim de tarde, de momentos agradáveis em pleno paredão da praia, observando os passantes, a praia, o Atlântico e o pôr-de-Sol da Caparica.
A imagem foi captada quando o desastrado  programa Polis já fazia o cerco ao local.