terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Coisas de Almada e da Gente de Almada

Terminal Fluvial dos Cacilheiros, no Ginjal junto ao Restaurante "O Grande Elias", na década de 50 do século passado.
Vê-se a proa de um ferry-boat (da "Parceria", como se dizia nesse tempo) no seu antigo terminal, onde actualmente atracam os cacilheiros.
Na imagem obtida em 1959, vê-se o Cristo-Rei.
Tempos em que Cacilhas e o Ginjal tinham vida, indústria, movimento e bons restaurantes que atraiam muitos lisboetas.
Hoje infelizmente e em parte por incúria dos nossos autarcas, o Ginjal está como conhecemos, em ruínas e arruinado. Uma escuridão dos seus tempos áureos, para mal de Cacilhas e do nosso concelho.
Almada está a pagar um preço caro pelo abandono desta parte do concelho. Infelizmente não é caso único na nossa terra.
Até quando?

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Gente de Almada, Gente Que Viveu e Vive Almada

Turma da Escola Conde Ferreira, de Almada, no ano lectivo 1954-1955
Ao centro na foto temos a Professora Maldonado, de bata branca.
À esquerda e por trás das grades, encontra-se a Sra. Adelina, Contínua na Escola.
Esta Escola, masculina de Almada, tinha como Director, o famoso Professor Câncio, muito exigente com os alunos. Era detentor de uma palmatória para "premiar" os alunos que não sabiam a tabuada.
Outros tempos então, quando os alunos saíam da escola a saber a tabuada de memória.
Como podemos ver na foto pela roupa que os alunos vestem, os tempos eram difíceis. Muitas famílias viviam com sérias dificuldades económicas.