quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Gente de Almada, Gente Que Viveu e Vive Almada

Cerimónia pública de lançamento da primeira pedra para um Pavilhão Gimnodesportivo do Ginásio Clube do Sul, no terreno entre a Rua Cruzado Liberche e a Rua Lourenço Pires de Távora, em Almada. No local não chegou a ser construído qualquer Pavilhão.
Vêem-se nesta foto em primeiro plano junto da mesa e da esquerda para a direita: Tenente Diogo (só após o seu destacamento de Almada foi promovido a Capitão), Comandante da Polícia de Segurança Pública de Almada; Sr. Carlos Alberto Pinto Durão, então Presidente da Direcção do Ginásio Clube do Sul e Dr. Glória Pacheco, Presidente da Câmara Municipal de Almada.
As quatro crianças à esquerda na foto pertenciam às classes de ginástica do Ginásio Clube do Sul.
Atrás, entre o Sr. Carlos Alberto Pinto Durão e o Dr. Glória Pacheco vê-se o então Chefe Manuel Simões, da Polícia de Segurança Pública de Almada.
O Dr. Glória Pacheco, antes de assumir a Presidência da Câmara Municipal de Almada, fora Conservador do Registo Civil de Almada.
A foto é da segunda metade da década de sessenta (1967-1968).

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Gente de Almada, Gente Que Viveu Almada

 
 
Francisco António Daniel, o Daniel “BOLA NOVA”, popular figura durante décadas nas praias do centro da Vila da Costa de Caparica, nasceu na freguesia de Vila Nova de Tazem, concelho de Gouveia, Distrito da Guarda. Aos 16 anos chegou à Trafaria para trabalhar na Padaria do Sr. Miranda como padeiro, a convite de seu primo José Tiago, chefe do pessoal.
 Transferiu-se depois para a padaria do “Mano” na Costa de Caparica , tendo trabalhado ainda em Almada, dentro do mesmo ramo. Regressou à Costa de Caparica onde viria a casar aos 21 anos com uma caparicana de quem teve três filhos. De seguida lançou-se sozinho, com fabrico próprio, no negócio de padeiro e pasteleiro auxiliado por sua mulher. Fazia broa de milho, os pastéis caparicanos ( bolos com a forma de lagarto e de bonecos) e a Bola Nova, as suas deliciosas iguarias. Comprou uma casa, para desenvolver o negócio.

 Era na Rua Costa Pinto que tinha a sua fábrica. Vendia suas especialidades doces na praia, entre o antigo banheiro Estrela do Mar e o ainda actual Bexiga e, fazia também uma distribuição de bicicleta por tascas, principalmente no Inverno, desde a Costa de Caparica a Cacilhas, auxiliado algumas vezes por um dos filhos. Por volta dos 33 anos compra o seu primeiro carro, um Ford V8 e passa a nova fase do seu negócio. De manhã vende bolos na praia e à tarde trabalha com o táxi em Cacilhas onde também vende bolos que transporta no táxi. O Sr. Daniel não parava. A broa de milho era uma especialidade sua vendida a vinte centavos ($20). Tinha clientes certos: os Evandros, Mestre Adrião e Francisco José da Silva (Mestre Xico) entre outros.
Daniel “Bola Nova” era católico e muito exigente para com seus filhos nas relações sociais e profissionais.

Na época de praia, era aguardado todas as manhãs por adultos e crianças. Hoje, certamente quem frequentava a praia e tem mais de 25 anos, lembra com saudade aquele homem simpático, vestido de branco e boné na cabeça, o “Bola Nova”. Era a alegria da criançada com seu pregão e imagem de marca “lá vou eu”, em resposta aos apelos dos que solicitavam sua presença com o carrinho de mão, onde transportava os bolos pelo areal, sempre com grande perícia. Com aquele pregão dava a todos a certeza que ninguém ficava por atender.

 Em homenagem a esta figura simpática e símbolo da “praia da Costa” durante décadas, um Grupo de Pais criou numa Escola, alguns anos atrás, a Associação de Pais “ Bola Nova”, justificando desta forma a razão do nome: “Era uma vez, no tempo em que vossos pais eram crianças, um Senhor.... Um Senhor vestido de branco, que tinha um carrinho branco com letras vermelhas e que vendia uns bolos que eram uma delícia. Com seu pregão de “lá vou eu” chamava pelas crianças, que lutavam para chegar em primeiro lugar junto dele, para comer aquelas “Bolas Novas “ que faziam a alegria das crianças. Por isso, nós, os vossos pais, com o nome da nossa Associação, tentamos homenagear alguém que tão conhecido foi (e é), na nossa terra, o Sr. Daniel dos Bolos, mais conhecido pelo «BOLA NOVA» ”. Terminou a venda de bolos aos 89-90 anos. Figura popular na Costa de Caparica e no concelho de Almada, era reconhecido em todo lado. «Lá vai o Daniel “Bola Nova”» diziam, «Lá vou eu» dizia ele.
 
Foi um apaixonado pelo ciclismo, como amador. Tinha também uma grande paixão pelo seu último táxi, um Mercedes 220, que só deixou de conduzir 5-6 meses antes de falecer. Impossibilitado de o conduzir sentava-se frequentemente ao volante.

 A Junta de Freguesia da Costa de Caparica e o concelho de Almada não podem esquecer esta simpática pessoa que foi figura popular e rosto das praias da então Vila da Costa de Caparica, durante décadas. DANIEL “BOLA NOVA” está de forma indelével associado à terra que ele tão bem conheceu e palmilhou vezes sem conta. É acto de justiça para com a terra e suas gentes e uma mais valia para a cidade atribuir seu nome a uma artéria da Costa de Caparica : a Rua Francisco António Daniel ( DANIEL “BOLA NOVA”).

 Faleceu em Dezembro de 2001, com 91 anos. Está sepultado no Cemitério da Costa de Caparica.