quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Gente de Almada, Gente Que Viveu e Vive Almada



Mais uma foto da juventude dos anos 50, uma turma (1955-1956) da Escola Conde Ferreira de Almada, com a sua mestre, a Professora Maldonado.
A Escola Conde de Ferreira faz parte da memória de Almada e de suas gentes, daqueles que por lá aprenderam as primeiras letras, a tabuada e de lá sairam a saber ler e fazer contas.Uns ficaram por aqui na aprendizagem, outros prosseguiram para escolas secundárias.
Quando se fala na preservação da memória dos povos e das gentes, ocorre-nos que em Almada a Câmara Comunista tem apostado em destruir ou deixar cair em todo o concelho edifícios que deveriam ser devidamente preservados.
Foi isto que aconteceu com o edifico da Escola Feminina "do Campo", obra do Estado Novo, que esta Câmara abandonou (talvez por isso) e mandou deitar abaixo, para depois no local mandar construir outra, com um parque de estacionamento para automóveis por baixo. Foi o betonar  intensivo e extensivo de todo o terreno que integrava a Escola. 
Lamentável!

5 comentários:

Anônimo disse...

és um pateta. Aquela escola não tem comparação com o centro escolar que lá está. É preciso ser completamente cego-ideológico. Ah, é verdade: eu tb. n gosto desta Câmara mas não digo as parvoíces que vomitas aqui no blogue, com o teu saudosismo bacoco. Deves ser mto infeliz

Anônimo disse...

anónimo você confunde alhos com bugalhos.

Já agora uso a sua expressão Ah, é verdade!(também me estava a esquecer): eu até gosto desta Câmara mas não elogio você por não gostar desta Câmara e simultâneamente não dizer parvoices.É uma virtude sua. Têm as suas razões muito bem.
Você deve ser um independente, daqueles comprometidos que reconhece quanto a Câmara lhe paga para o usar em troca de ficar calado.

Anônimo disse...

Lembro-me quea a área de Recreio da antiga escola primária feminina era enorme. Foi aí segundo consta que existiu antes a Praça de Toiros de Almada.
Depois do 25 de Abril a Câmara de Almada pavimentou grande parte do Recreio para parque de estacionamento de automóveis.
Os comunas entenderam dar prioridade aos automóveis, roubando o Recreio aos alunos.

Marai sampaio disse...

Realmente o sr. pelos vistos nunca foi àquela escola. Estava num estado lastimoso, com umas escadas em rico de queda, além das escadas exteriores que era um caso sério para as subir. Mais cego é aquele que não quer ver...

almadalmada disse...

Se a Escola estava num estado lastimoso à Câmara Municipal de Almada se ficou a dever esse estado de degradação, porque nunca teve a iniciativa de realizar obras de conservação e restauração.
Deixar chegar à ruína é a táctica da Câmara para de seguida aparecer como a benfeitora e salvadora das situações. É "a política da terra queimada" tão querida e venerada na prática pelos comunistas.