domingo, 22 de abril de 2007

Gente de Almada, Gente Que Viveu Almada

Dr. José Malheiro da Silva, não sendo natural de Almada, radicou-se e viveu aqui desde 1960. Tinha o seu consultório de Estomatologista no Laranjeiro, por cima do Café Oásis, onde o conheci em 1969.
Minhoto, nasceu em Venade, concelho de Caminha, tendo estudado medicina em Coimbra e no Porto. Faleceu em Almada aos 70 anos de idade.
Médico competentíssimo na sua especialidade, disso tenho as naturais provas.
O Dr Malheiro era uma pessoa com peculiaridades naturais, que a uns agradavam a outros menos.
Foi um antifascista de primeira linha no concelho de Almada. Privei com ele alguns momentos de amenas cavaqueiras sobre política antes do 25 de Abril de 1974 e posteriormente, quer no Café Oásis, quer no café Central em Almada, quer quando nos encontravamos na rua, quer também no seu consultório, que frequentei por algum tempo em tratamentos.
A nossa amizade e camaradagem foi além das visitas de consultório e permaneceu até que a morte o separou do convivio dos seus amigos.
Da sua luta antifascista no concelho salientam-se as numerosas actividades politico-culturais desenvolvidas, os comícios em que participava, orador notável, onde empolgava a assistência com incisivas e arrojadas declarações políticas ao lado de outros antifascistas. Recordo aqui um comício da Oposição Democrática, realizado na Incrivel Almadense em 1973, onde o Dr. Malheiro e José Correia Pires (anarquista) deram uma grande bordoada no regime através das suas intervenções.
O Dr. Malheiro, pessoa de grande formação político-cultural tinha uma forte personalidade, um caracter firme e determinado que o marcaram na luta antifascista no concelho de Almada, não se deixando embalar, nem embarcar em demagogias.
Para além de médico e lutador antifascista, o Dr José Malheiro da Silva distinguiu-se também como conferencista e associativista.
Foi dirigente de várias colectividades no concelho de Almada, tendo dedicado algum do seu tempo ao estudo do Associativismo Popular.

5 comentários:

Artur Vaz disse...

Uma figura impar da vida cultural de Almada, umas referencia na luta dos ideais democráticos e um estudioso do associativismo.
Um paladino na oratória, galvanizando multidões.Quem não se lembra das suas intervenções nos comicios da oposição em 1969.
São homens como José Malheiro que nos fazem aguçar a luta por um Abril sem fim.
Parabens por trazerem a memória deste vulto.
Artur Vaz - Escritor e Jornalista

Luís Manuel disse...

Vim aqui por curiosidade e descobri o meu camarada José Malheiro, um grande democrata de sempre. Não esqueço as eleições de 1969, a minha estreia política.

Houve alguém que levantou a lebre deste blogue ser de Artur Vaz. Realmente é suspeito ele aparecer sempre a comentar e em auto-elogio.
Vindo de um escritor mediocre, nem é de estranhar.

Sinceramente não acredito que seja ele. Caso contrário ja tinha saído do esgoto, como grande "ratazana" que é, para se juntar ao bando da gente ordinária que escolheu a internet para atacar a Câmara, a CDU e a nossa presidente. Ainda não me esqueci da porcaria que escreveu no Jornal de Almada e no Sul Expresso, a mando do PS.

almadalmada disse...

Caro luís manuel deixe-se desses termos nestas condições, agora e aqui, fica-lhe mal.
Se tem outras intenções fique com elas para outro lugar mais adequado.
Só o informo que este blogue é de almaDalmada e não de quem diz. OK?

Artur Vaz disse...

Simplesmente um esclarecimento o Dr José Malheiro nas eleições de 1969 foi candidato pela Oposição pelo distrito de Setúbal juntamente com os democratas Álvaro Ribeiro Monteiro, Joaquim Palmiro Gonçalves, e José António Tavares da Cruz.
Aproveito para informar que este blog não é meu, mas sim de alguem de prima pela qualidade e pela preservação da Memória e das Gentes de Almada, aliás causa nobre e digna que admiro e que noutros blogs é notória a sua ausência.
Apresento desde já as minhas desculpas por comentários que possam indirectamente atingir o AmaDalmada, mas como sabem há muita gente que não respeita a Liberdade dos outros...
Artur Vaz - Escritor e Jornalista

almadalmada disse...

Caro Artur Vaz, quem não se respeita também não respeita. Infelizmente há quem se diga "democrata" e proceda assim, recorra a baixarias.
Só merecem o nosso desprezo.
Vamos seguir o nosso rumo.
Obrigado