domingo, 21 de dezembro de 2014

Gente de Almada, Gente Que Vive Almada

 
Joaquim Manuel Abreu, almadense, nasceu a 13 de Junho de 1924 em Almada, no  Pátio da Boca do Vento, actual Pátio  Prior do Crato, mas só foi registado em 14/06/1924 (data oficial).
Os pais, naturais de Beja, residiam  na Rua Latino Coelho, nº 17, mas por acaso do destino a mãe naquele dia 13 de Junho de 1924 encontrava-se na casa de uma família do Páteo da Boca do Vento, onde viria a nascer.
Para os almadenses mais idosos, o Pátio Prior do Crato é sempre o Pátio da Boca do Vento.
Frequentou a Escola Conde Ferreira, em Almada (ainda não foi mandada demolir pela Câmara Municipal de Almada), onde foi aluno do Prof. Seita Ramos (maçon). Segundo nos disse, o seu professor estaria indicado para matar o Rei D. Carlos I.
O Abreu começou a trabalhar como aprendiz de cravador de diamantes com o José Braz na Rua dos Fanqueiros e com o Augusto Araújo e Manuel Araújo na Rua da Vitória, em Lisboa, durante alguns meses.
Veio depois trabalhar para Cacilhas na Casa do Custódio no ofício de serralheiro. Aos 18-19 anos foi trabalhar para o Grémio no Ginjal, onde foi convidado para aderir à Brigada Naval, convite que declinou. Daqui saiu para os estaleiros Parry & Son em Cacilhas, onde esteve 8 anos (serralheiro) e depois foi para o Arsenal do Alfeite (Marinha Portuguesa), seu último emprego onde esteve 34 anos e meio e onde se reformou em 1981 por incapacidade. Aqui foi serralheiro dedicando-se a trabalhos em motores e turbinas.
Joaquim Abreu é o sócio nº 1 da Incrível Almadense. Sócio desta colectividade desde os 9 anos, embora só tivesse o registo como tal em 1939, recebeu o emblema de platina dos 75 anos de associado em 5 de Outubro de 2014.
Na Incrível iniciou-se, em jovem, aprendiz na Banda mas devido a brincadeira de crianças abandonou a música.
Foi colaborador da Incrível, sem remuneração (como era usual na época) durante 28 anos nos bares da colectividade, onde nunca quis integrar cargos directivos, apesar de vários apelos.
Casou aos 22 anos, tem dois filhos, um casal, ele com 63 anos e ela com 60 anos. Ficou viúvo há 16 anos.
Joaquim Manuel Abreu, com 90 anos, é um almadense conhecedor da vida e vivências desta nossa cidade, com quem alguns almadenses partilham momentos de tertúlia na Praça da Renovação.

2 comentários:

João Trindade disse...

Viva,

Encontro-me neste momento a reabilitar o prédio em que os Pais do Joaquim Abreu nasceram (Rua Latino Coelho, nº 17).

Gostava imenso de registar as histórias desse prédio. Se souberem como posso contactar o próprio Joaquim Abreu ou outras pessoas que conheçam a história desse imóvel por favor indiquem-me por email (trindade.joao@gmail.com) ou deixem um comentário.

Obrigado

almadalmada disse...

Joaquim Abreu faleceu em 2 de Maio de 2015