sexta-feira, 26 de junho de 2015

Coisas de Almada e de Gente Que Viveu e Vive Almada

 
Fotografia do início dos anos 50, com almadenses, que tem por fundo a antiga "Fotal", primeira  casa de artigos fotográficos do Faustino, situada na Rua Bernardo Francisco da Costa, nº 70 (Frente ao Mercado), no local onde hoje existe um prédio  de cor amarela sem número de rua para esta artéria, entre os actuais nºs  64  e 66. Posteriormente a Fotal  ocupou também o nº 72. Daqui se deduz que a designada numeração de polícia foi alterada nesta artéria. 
A "Fotal" tinha o telefone  nº 351 de Almada.
Estas instalações foram demolidas. A "Fotal" na segunda metade dos anos 50 (1956 ? ) passou  para o local deixado vago pela Estação dos Correios, o nº 64, na mesma rua, adoptando posteriormente o nome "Fotalmada".
No lado esquerdo da "Fotal", na foto, da qual se vê a entrada com uma criança à porta, era a casa de chapéus de chuva, tesouras, facas e canivetes do irmão do Faustino, Félix Fernandez Pombar.
Na vitrina que se vê à esquerda entre as duas lojas, o Faustino afixava  fotografias das reportagens fotográficas, festas carnavalescas e nomeadamente de casamentos de gente de Almada.
Na fotografia reconhecem-se os almadenses Marcelino, excelente profissional - dourador - no restauro de decorações artísticas em madeira, arte sacra e mobiliário antigo, Fernando Marques e Celestino Casaca. Estes almadenses, clientes da "Fotal", faziam parte do circulo de amizade do Faustino.
Marcelino, foi um profissional qualificado que trabalhou para além dos 80 anos, até a saúde lhe permitir. Muito conhecido no meio almadense por gente de Almada, era  procurado e desejado por quem pretendia um trabalho com competência, perfeito e honesto.

Nenhum comentário: